LIGUE: 11 5084.4251

A Endocrinologia é a especialidade médica que estuda e trata as doenças causadas por disfunções hormonais e distúrbios do metabolismo.

O médico especialista em Endocrinologia e Metabologia tem uma visão abrangente de diversos aspectos do funcionamento do organismo, sendo desta forma o especialista indicado para tratar múltiplas situações clínicas e patológicas.

O nome (endocrinologia) é derivado do grego, endo=interno e krino=secreção, ou seja, "secreção interna", referindo-se aos nossos hormônios.

Esta especialidade foi introduzida no Brasil, na década de cinquenta, quando foi criada a Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM).

Vamos descrever os campos de atuação desse especialista a seguir para que todos vocês possam conhecer um pouquinho a nossa especialidade.

1) Andropausa: Uma porcentagem considerável dos homens também pode sofrer com o envelhecimento e queda da produção de hormônios masculinos. Neste caso, alguns podem sentir cansaço, diminuição da força muscular e disfunção sexual, necessitando da ajuda do especialista para fazer esta reposição hormonal. Existem indicações para a reposição destes hormônios, que podem melhorar muito a qualidade de vida destes pacientes, quando bem indicado e acompanhado.

2) Colesterol e Triglicerídeos: A alimentação inadequada associada aos hábitos de vida moderna, como o sedentarismo por exemplo, além de algumas doenças, podem levar ao aumento do colesterol e dos triglicerídeos em adultos e crianças. Este excesso de gordura no sangue pode causar sérios problemas e doenças cardiovasculares, e com um tratamento adequado, o risco de futuras complicações é reduzido.

3) Crescimento: Crescimento maior ou menor do que o esperado para uma criança pode evidenciar um problema, já que criança saudável tem um crescimento normal. Causas de desvio de crescimento podem ocorrer em função de alterações hormonais, nutricionais ou genéticas. A menor parte das crianças consideradas com baixa estatura vai precisar realmente de tratamento com hormônios de crescimento, já que existem indicações especificas, e seu uso deve ser feito através de acompanhamento médico e exames para monitorar possíveis complicações do uso deste hormônio. Um endocrinologista poderá indicar o tratamento quando necessário e fazer o seguimento adequado.

4) Diabetes: Trata-se de excesso de glicose (açúcar) na corrente sanguínea. Existem inúmeras causas, os sintomas são poucos aparentes, e as consequências à médio e longo prazo são dramáticas. O acometimento da visão, dos rins e da sensibilidade nos membros acontece em média 5-10 anos após o diagnóstico inicial em caso de não controle da doença e nestes casos as chances de reversão do quadro são pequenas. Diagnosticar e cuidar desde o começo é muito importante para manter uma melhor qualidade de vida futura. O médico endocrinologista é o profissional capaz de detectar exatamente qual a causa do seu Diabetes e sugerir o tratamento mais adequado para o controle em cada caso. Além disso, ele ainda pode identificar pessoas com maior risco para desenvolvimento de tal patologia e retardar a instalação e evolução desta doença tão silenciosa. Se você tem excesso de peso, parentes com diabetes, hipertensão ou alterações de gordura no sangue, procure um endocrinologista, você pode ter risco alto de desenvolver diabetes. Mas se você bebe muita água, urina muito e está perdendo peso mesmo se alimentando bem, você pode já estar diabético.

5) Distúrbios da Menstruação: Alterações do ciclo menstrual (falta de menstruação ou menstruação mais de uma vez ao mês) podem significar problemas hormonais. Por isso, necessitam de investigação e tratamento adequado. Problemas com a menstruação nem sempre são problemas exclusivos dos Ginecologistas, o Endocrinologista também é o especialista indicado para investigar e tratar esses casos.

6) Distúrbios da Puberdade: Crianças que desenvolvem precocemente pelos pubianos, odor axilar e desenvolvimento das mamas, apresentam distúrbios hormonais e necessitam avaliar a origem do problema. Os adolescentes que não desenvolvem essas características também necessitam de avaliação e terapêutica adequada. Ambos os quadros, além de problemas sociais e psicológicos, podem comprometer a estatura final. Nestes casos um endocrinologista é capacitado para tal diagnóstico e tratamento.

7) Doenças da Glândula Supra-Renal: Duas pequenas glândulas localizadas cada uma sobre um dos rins, possuem funções vitais. Disfunções agudas com diminuição da produção do seu principal hormônio pode levar a queda de pressão e até a morte. Ao contrário, alterações com excesso de produção podem levar a pressão alta, diabetes, excesso de pelos, alteração menstrual, estrias largas e avermelhadas pelo corpo. Em crianças podem ser responsáveis por puberdade precoce.

8) Doenças da Hipófise: A hipófise é uma glândula de localização central, produtora de diversos hormônios. Seu pequeno tamanho não se correlaciona com a importância que desempenha. Tumores nessa região podem causar excesso de hormônios e assim gerar sintomas tais como, saída de leite das mamas fora do período de amamentação, queda de pelos do corpo, aumento das mãos e pés, afastamento dos dentes, além de dores de cabeça e distúrbios de visão. O tratamento necessário poderá ser cirúrgico, entretanto, alguns casos respondem muito bem apenas com medicação. A identificação precoce do problema pode retardar o aparecimento de complicações e de sequelas futuras. Se esse tumor cresce muito nessa pequena região pode haver sangramentos e, além disso, ele pode comprimir as células normais inibindo seu funcionamento e causando sintomas relacionados a falta dos hormônios, e até mesmo compressão do nervo óptico responsável pela visão. O endocrinologista também é o especialista responsável por avaliar e indicar o melhor tratamento para estes casos.

9) Excesso de Pelos: Mulheres com excesso de pelos grossos com característica masculina, em regiões do corpo pouco comuns como face, costas, região umbilical e face interna da coxa, além de acne ou aumento da musculatura podem estar com produção excessiva de hormônios masculinos. Muito mais que um problema estético, este quadro pode estar relacionado a disfunção importante resultante do excesso de hormônio masculino e deve ser devidamente avaliada e tratada pelo endocrinologista.

10) Obesidade: A obesidade representa um risco para a saúde tanto das crianças, quantos dos adultos. Trata-se de uma epidemia mundial. Além do problema estético que carrega, relaciona-se com pior qualidade de vida, maior mortalidade e ao aparecimento de outras doenças associadas (comorbidades). Raras as vezes é causada por distúrbios hormonais. Grande parte das vezes o paciente procura seu especialista buscando solução milagrosa ou fórmula mágica para redução de peso. Sendo assim, a maioria das pessoas foca no tratamento medicamentoso que seria o componente menos importante do tratamento e acaba tendo decepções por perdas rápidas de peso, porém com recuperação do peso em seguida. A função do endocrinologista é de orientar o paciente em todos os aspectos do tratamento, indicar medicação em caso de necessidade, com objetivo de mudança dos hábitos de vida, a fim do sucesso à médio e longo prazo.

11) Osteoporose: Trata-se de uma doença endócrina. Esta patologia é responsável por fraturas e dores limitantes pós trauma. Existem muitas causas para osteoporose, ocorre mais frequentemente nas mulheres após a menopausa, em idosos e naqueles com hábitos de vida tais como tabagismo, etilismo, além de outros distúrbios hormonais. Fraturas como resultado de trauma mínimo podem ser um sinal da doença. O endocrinologista é capaz de fazer o diagnóstico, identificar a causa e orientar o tratamento adequado para cada caso.

12) Reposição Hormonal da Menopausa: A reposição hormonal é um tratamento eficaz, feito com hormônios iguais aos produzidos pela própria mulher, com o objetivo de amenizar o desconforto e os riscos causados pela menopausa. Existem indicações especificas para reposição e tratamentos com hormônios. O seu endocrinologista será capaz de avaliar as indicações e orientar se você é uma candidata a este tipo de tratamento.

13) Tireoide: A Tireoide é uma glândula localizada na parte anterior do pescoço. Quando por algum motivo ela começa a liberar hormônios a mais (HIPERTIREOIDISMO) ou a menos (HIPOTIREODISMO) temos o reflexo no organismo em sintomas relacionados ao excesso ou falta destes hormônios. Distúrbios da tireoide durante a gravidez podem acarretar problemas sérios para o feto e muitas vezes irreversíveis. Nódulos na tireoide também são frequentes e assustam as pessoas, entretanto, na maioria das vezes, são benignos e necessitam apenas de acompanhamento periódico, sem a necessidade de cirurgia. Nódulos ou aumento de volume do pescoço; nervosismo; insônia e alterações no ritmo intestinal; coração acelerado; perda ou ganho de peso; e excesso de frio ou calor podem revelar distúrbios da tireoide. Vamos nos atentar a estes sinais e sintomas sempre.

Retire suas dúvidas